Vasco demite Ramón Díaz: os técnicos que estão livres no mercado

Vasco demite Ramón Díaz: os técnicos que estão livres no mercado

Vasco demite Ramón Díaz: os técnicos que estão livres no mercadoFoto: Reprodução

O Vasco da Gama está sem técnico após a 4ª rodada do Brasileirão. A equipe cruzmaltina optou por demitir o argentino Ramón Díaz após sofrer uma goleada por 4 a 0 para o Criciúma, dentro de São Januário. O anúncio aconteceu neste sábado, 27, logo após o término da partida. O cargo será ocupado de forma interina por Rafael Paiva, enquanto o Vasco estuda possíveis nomes. PLACAR resolveu ajudar e listou os principais técnicos livres no mercado.

VEJA OS TÉCNICOS LIVRES NO MERCADO:

Vanderlei Luxemburgo

Após trabalho ruim no Corinthians em 2023, Vanderlei Luxemburgo está disponível no mercado e sem o mesmo prestígio de décadas atrás. Por outro lado, o experiente treinador de 71 anos tem cinco títulos do Brasileirão em seu currículo.

Paulo Turra

Com três clubes em 2023, Paulo Turra está livre no mercado. Por muitos anos auxiliar de Felipão, o ex-zagueiro passou pelo Athletico Paranaense, Santos e Vitória de Guimarães, de Portugal, na última temporada.

Paulo Autuori

Campeão mundial e bicampeão da Libertadores, Autuori é um dos nomes livres que ostenta grande currículo. Depois de investidas como coordenador técnico, assumiu mais uma vez o Cruzeiro. Foram seis jogos, duas vitórias e quatro empates para livrar a Raposa do rebaixamento.

Diego Alonso

Treinador do Uruguai na Copa do Mundo de 2022, Alonso teve seus melhores trabalhos no México, onde faturou a Champions da Concacaf por Pachuca e Monterrey. Passou pelo Sevilla em 2023, onde venceu duas vezes, empatou cinco e perdeu sete em 14 partidas.

Bruno Lage

O português de 47 anos, com passagens por Benfica e Wolverhampton, está livre desde que deixou o Botafogo. No Brasil, não conseguiu desempenhar bom desempenho e fez parte da queda de rendimento do Glorioso no Brasileirão.

Domènec Torrent

Auxiliar de Pep Guardiola durante anos, não emplacou no Brasil durante passagem pelo Flamengo. O último trabalho foi um curto período no turco Galatasaray na temporada 2021/22.

Gabriel Heinze

Quando jogador, Heinze passou por Manchester United e Real Madrid. Por outro lado, à beira do campo, o argentino ainda precisa se provar. Em 2023, treinou o Newell’s Old Boys, pelo qual venceu 18 jogos, empatou 16 e perdeu 16.

Carlos Queiroz

Nascido em Moçambique na época de colonização portuguesa, Carlos Queiroz vem de quatro trabalhos consecutivos em seleção: Portugal, Irã, Colômbia, Egito, Irã (nova passagem) e Catar. Auxiliar do Manchester United entre 2004 e 2008, tem bom currículo e pode ser boa opção para grandes do Brasil.

Luiz Felipe Scolari

Campeão do mundo em 2002 com a seleção brasileira e dono de um dos mais vitoriosos currículos do futebol mundial, Felipão está livre no mercado. O técnico de 75 anos deixou o Atlético Mineiro no início deste ano, onde teve um trabalho de altos e baixos.

Mano Menezes

Após iniciar 2024 em má fase com o Corinthians, o gaúcho de Passo do Sobrado foi demitido. Ao todo, acumula na carreira passagens por Internacional, Palmeiras, Cruzeiro e outros grandes do país.

Fernando Santos

Depois de comandar Portugal por oito anos, Santos não vive bons momentos. Em 2023, ficou à frente da Polônia por seis jogos e neste ano treinou o Besiktas, da Turquia, em 16 compromissos.

Carlos Carvalhal

Antigo sonho de clubes do Brasil, o português não assume um trabalho desde que deixou o Olympiakos, da Grécia. Antes, comandou clubes como o Celta de Vigo, o Braga e o Rio Ave.

Jorge Sampaoli

Velho conhecido das torcidas de Santos, Atlético Mineiro e Flamengo, Sampaoli tem como característica o envolvimento em polêmicas. Em 2023, deixou o Rubro-Negro com 39 jogos, 20 vitórias, 11 empates e nove derrotas.

Cláudio Caçapa

O ex-zagueiro teve um curto período como auxiliar do Botafogo em 2023 e deixou boa impressão. Após isso, não brilhou no RWD Molenbeek, da Bélgica, e foi demitido com 28 jogos.

Thiago Carpini

Após grande trabalho no Juventude, em 2023, que resultou no acesso da equipe à elite do Brasileirão, Carpini ganhou a chance da vida no São Paulo. Porém, mesmo após um início de temporada promissor, vencendo a Supercopa do Brasil e quebrando o tabu tricolor contra o Corinthians, o técnico emendou uma sequência negativa de resultados e cedeu à pressão da torcida, sendo demitido. Foram 18 jogos, com oito vitórias, quatro empates e seis derrotas.

Para fazer parte da nossa comunidade, acompanhe a Placar nas mídias sociais.

Fonte: www.canalrural.com.br
O conteúdo acima foi originalmente publicado no CanalRural e indexado ao Alta Notícias

COMPARTILHE!