Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Professores da Unifesp anunciam greve a partir de segunda (29)

Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Professores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) aprovaram nesta quarta (24) adesão à greve nacional de docentes de universidades e institutos federais por reajuste salarial. Os profissionais planejam parar a partir de segunda-feira (29).

Ao menos 31 instituições federais estão com aulas suspensas. São 26 universidades, quatro institutos federais e um centro tecnológico.

Os docentes exigem reajuste salarial de 22%, a ser dividido em três parcelas iguais de 7,06% –a primeira ainda para este ano e outras para 2025 e 2026.

Na sexta-feira (19), o governo Lula (PT) fez uma contraproposta: de 9% de reajuste em 2025 e 3,5% em 2026. Ainda não houve resposta do Andes-SN (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior).

O sindicato afirma que, além da recomposição salarial, existe a necessidade de investimentos públicos nas instituições federais de educação, diante da corrosão desses investimentos no governo passado, sob Jair Bolsonaro (PL).

O MEC (Ministério da Educação) diz que busca alternativas de valorização dos servidores da educação.

Na semana passada, o presidente Lula defendeu o direito à greve ao comentar sobre as reivindicações salariais dos servidores públicos. Lula disse que a ministra Esther Dweck (Gestão e da Inovação em Serviços Públicos) está “fervilhando de problemas”, por suas negociações com servidores públicos.

“A gente pode até não gostar, mas [greves] são direito democrático dos trabalhadores. Não tenho moral para falar contra greve, nasci das greves. Então sou obrigado a reconhecer.”

Estudantes da Unifesp comemoraram a adesão de seus professores ao movimento. Os centros acadêmicos emitiram notas apoiando a decisão.
“Todos sabemos dos problemas enfrentados por eles. Vamos apoiá-los até o fim”, diz Melissa Duarte, 23, estudante de ciências biológicas no campus Diadema, na Grande São Paulo.

INSTITUIÇÕES EM GREVE

Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS) – campi Pouso Alegre e Poços de Caldas;
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) – campus Rio Grande;
Instituto Federal de São Paulo (IFSP);
Universidade Federal do Rio Grande (FURG);
Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG);
Instituto Federal do Piauí (IFPI);
Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB);
Universidade Federal de Brasília (UnB);
Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF);
Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP);
Universidade Federal de Pelotas (UFPel);
Universidade Federal de Viçosa (UFV);
Universidade Federal do Cariri (UFCA);
Universidade Federal do Ceará (UFC);
Universidade Federal do Espírito Santo (UFES);
Universidade Federal do Maranhão (UFMA);
Universidade Federal do Pará (UFPA);
Universidade Federal do Paraná (UFPR);
Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB);
Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa);
Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR);
Universidade Federal de Rondônia (UNIR);
Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD);
Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ);
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO);
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ);
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM);
Universidade Federal do Pampa (Unipampa);
Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA);
Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

*Entre as instituições representadas pelo Andes-SN; outros sindicatos podem ter balanços diferentes

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo

Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE