Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Militares do Níger anunciam processo contra presidente deposto por ‘traição’

Militares do Níger anunciam processo contra presidente deposto por ‘traição’
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Os líderes do golpe de Estado no Níger anunciaram na noite deste domingo (13) que irão processar o presidente eleito, Mohamed Bazoum, por “alta traição” e por “minar a segurança interna e externa” do país.

As acusações foram feitas após os militares ameaçarem assassinar Bazoum caso países vizinhos façam qualquer intervenção armada para restabelecer o governo deposto, em anúncio com ampla repercussão negativa. Agora, os líderes do golpe dizem ter reunido as “provas necessárias” para processá-lo.

“O governo nigerino reuniu […] evidências contra o presidente deposto e seus cúmplices locais e estrangeiros, junto às instâncias nacionais e internacionais competentes, por alta traição e por minar a segurança interna e externa do Níger”, disse o coronel Amadou Abdramane, um dos líderes da junta militar.

Em discurso televisionado, Abdramane ainda acusou opositores de alimentar uma campanha de desinformação contra a junta militar para, segundo ele, tentar “inviabilizar qualquer solução negociada para a crise”. As difamações, acrescentou, ainda seriam usadas para justificar uma intervenção externa no país africano. Na semana passada, a Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental (Cedeao) determinou a mobilização de uma “força de prontidão” para possível ação armada no Níger.

A União Africana, a União Europeia, os Estados Unidos e a ONU vêm manifestando preocupação com a saúde Bazoum, que não é visto em público desde que foi deposto, no último dia 26. De acordo com o partido do ex-líder, ele e sua família estão detidos em sua residência e sendo mantidos em condições “desumanas”, sem água corrente, eletricidade, acesso a alimentos frescos ou atendimento médico.

Líderes da junta rebatem as acusações de maus-tratos e dizem que Bazoum faz consultas médicas com frequência. A última delas, segundo Abdramane, teria acontecido no sábado (12). “O médico não levantou preocupações relacionadas ao estado de saúde do presidente deposto e de membros da sua família.”

Mais de duas semanas após o golpe, representantes da Cedeao voltaram a pedir diálogos. Líderes do bloco anunciaram no sábado um acordo para enviar um comitê a Niamey com o objetivo de discutir a crise, mas o cronograma ainda não havia sido definido.

Integrantes do Conselho de Paz e Segurança da União Africana, fórum que reúne 55 países do continente, também devem se reunir em caráter de emergência nesta segunda para discutir a crise no Níger, país considerado estratégico para potenciais globais. Nações como França e EUA usam o território nigerino como base para combater a insurgência de grupos terroristas jihadistas na região do Sahel.

Desde que o Níger se tornou independente da França, em 1960, diversas tentativas de golpes de Estado ocorreram no país. Quatro delas foram exitosas, a última em fevereiro de 2010, quando Mamadou Tandja foi deposto. Bazoum assumiu a Presidência em abril de 2021. À época, militares tentaram tomar o palácio presidencial, mas a ordem foi restaurada, na primeira transferência de poder democrática no país.

À medida que a insegurança aumenta, a influência russa vem crescendo. Em manifestações contra a interferência francesa no país, manifestantes exaltaram o presidente Vladimir Putin e exibiram bandeiras da Rússia.

Líderes de países ocidentais temem que o golpe no Níger possa aumentar a influência do grupo paramilitar Wagner na região. Ievguêni Prigojin, chefe da força mercenária que liderou um fracassado motim contra o governo Putin em junho, celebrou o golpe e ofereceu os serviços de seus combatentes.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo

Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE