Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Falar em Rolls-Royce é mencionar o ultra luxo em sua essência, personalificada pela imagem do misterioso “Spirit of Ecstasy”, que domina o grande radiador cromado da marca inglesa.

Símbolo de status, a Rolls-Royce é a marca de carros mais exclusiva do mundo.

Raros nas ruas do Brasil e da maioria dos lugares, mesmo em países ricos, um carro da Rolls-Royce, seja antigo ou novo, mexe com as pessoas.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Para a Rolls-Royce, cada carro é uma obra de arte individual feita à mão.

Isso requer a melhor pintura, a madeira da mais elevada qualidade e os metais, preciosos ou semipreciosos, dependendo do cliente, para que tenha a personalidade própria.

Com tempo de produção de 450 horas de intervalo entre um carro e outro, o sofisticado e silencioso complexo de Goodwood, no sul da Inglaterra, é considerado no Reino Unido de última geração.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Na Rolls-Royce Motor Cars, ostentam os modelos Phantom, Phantom Extended, Ghost, Ghost Extended, Culinan, Wraith e Dawn.

Basicamente, podemos traduzi-los como sedã topo de linha e sua variante longa, sedã intermediário e sua variante longa, SUV, cupê-esporte e conversível.

Com cinco linhas de produtos, a Rolls-Royce ainda tem customização como o Black Badge, por exemplo.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Existem setor internos dedicados a fazer desde um revestimento têxtil único no mundo até forjar metal ou lapidar uma joia de muitos quilates no próprio carro.

Por isso, um carro novo da Rolls-Royce não demora horas para ser feito, mas meses, como a construção de um grande jato executivo ou um mega iate de centenas de milhões de euros.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Custando a partir de £ 380 mil no Reino Unido, ou R$ 2,9 milhões, um carro da Rolls-Royce praticamente nunca é vendido pelo preço sugerido.

O motivo é a quantidade de itens de customização que os clientes acabam por escolher.

Com rodar extremamente macio, motor V12 muito potente, silêncio a bordo reconhecível e conforto inigualável, os carros da Rolls-Royce possuem diversas peculiaridades e extravagancias.

Rolls-Royce – história

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

O passado da Rolls-Royce é ligado ao prestígio do Império Britânico, no início do século XX, que dominava o mundo não só militarmente, mas também economicamente e culturalmente.

Essa história de luxo e status, começou no dia 4 de maio de 1904, no Hotel Midland, em Manchester.

Charles Stewart Rolls, um aristocrata galês, amante de corridas de carro e aventureiro aeronáutico, conheceu o 1º Baronete Sir Frederick Henry Royce.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Este era um engenheiro eletricista que havia desenvolvido versões elétricas de outros fabricantes.

Sendo eles De Dion – famoso pelo conceito de suspensão do Honda Fit AWD – e Decauville, fabricante francês que fazia também mini-locomotivas usadas em fazendas do Brasil.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Com a disposição de Rolls em apostar nos carros, assim como de Royce, a nova empresa ainda teria a participação importante de Claude Goodman Johnson.

Desconhecido por muitos, ele se descrevia como o hífen do nome da empresa: RollsRoyce.

Rolls-Royce – modelos antigos

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Iniciando a produção em 1906, então Rolls-Royce Limited começou fazendo os modelos 40/50, mas Goodman batizou o novo carro de Silver Ghost, como se fosse um iate de tão luxuoso para a época.

Em 1921, a Rolls-Royce chegou aos EUA para fabricar carros de luxo, com o Ghost (apelidado da Springfields Ghost) e Phantom. Quase 3 mil carros foram feitos em 10 anos de existência da Rolls-Royce of America.

Já nos anos 20, a Rolls-Royce descobriu por si só que seu legado seria sempre aristocrático ao fracassar em vender carros para clientes que não tinham motoristas.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Este foi o caso do Rolls-Royce Twenty, um modelo pequeno, cujos donos tinham condutores particulares.

Nos anos 30, a Rolls-Royce se envolveu na compra da Bentley, a marca oficial da Família Real, unindo os portfólios.

Nessa mesma década surgiu o Wraith, um modelo feito para receber carrocerias de fabricantes independentes e famoso num seriado de TV.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Com a Segunda Guerra, a Rolls-Royce voltou-se para a aeronáutica e carros de luxo voltaram em 1949, com o Silver Dawn, que “substituiu” o Wraith dos anos 30, sucedido pelos Silver Cloud.

O Wraith, contudo, continuou a ser produzido após a Segunda Guerra.

Um deles, com carroceria conversível da Muliner, é visto geralmente no dia 7 de setembro em Brasília, em uso pela Presidência da República, presente da Rainha Elizabeth II.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Os modelos Phantom IV, V e VI mantiveram as linhas clássicas dos anos 30, sendo o último feito de 1968 a 1992, mas com apenas 374 feitos.

Por isso o Wraith da presidência do Brasil tem aquele estilo dos anos 30, apesar de ter sido feito em 1953.

Já o sucessor do Cloud, o Silver Shadow, foi feito em Crewe, na fábrica da Bentley. Então, nos anos 80, surgiu o Silver Spirit, com linhas mais retilíneas.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Paralelamente, existiu o Rolls-Royce Corniche, em carrocerias cupê e conversível, assim como a perua Silver Shadow Estate e sua versão furgão Krug.

O Corniche foi feito de 1971 até 1995 sem mudanças de carroceria. No começo dos anos 2000, o novo Corniche usou as linhas “New Age” do Silver Seraph, mas só 374 foram feitos em dois anos.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Com exceção do Rolls-Royce Drophead, conversível de 2007, os clássicos Ghost e Phantom foram revividos a partir dessa época.

O mesmo foi feito com o Dawn como conversível e o Wraith como esportivo. Contudo, a marca rendeu-se aos SUVs com o Culinan…

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Em 1971, a Rolls-Royce mudou de mãos e acabou sendo nacionalizada, como quase todas as marcas de carros inglesas. Então, em 1998, a divisão de carros foi separada e comprada pela BMW.

A Volkswagen ficou com a Bentley, enquanto a divisão industrial ficou em separado. Em 2003, a marca saiu de Crewe e foi para Goodwood, em frente ao circuito histórico.

Rolls-Royce – modelos atuais

Phantom

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

O topo de linha da Rolls-Royce está no mercado desde 2017 na oitava geração. Com 5,76 m de comprimento, tem uma versão longa com 5,98 m.

Maior dos sedãs, vem com portas traseiras de abertura invertida e largas colunas C.

Ostentando o radiador “Parthenon”, o Phantom tem enormes rodas aro 20 polegadas e suspensão pneumática eletrônica.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Além disso tem poltronas com todos os recursos de conforto, assim como o famoso guarda-chuva embutido nas portas.

Tal como outros da marca, o Phantom tem portas de fechamento automático na traseira e teto com “céu estrelado” em fibra ótica.

Tem faróis de laser e eixo traseiro direcional e seu V12 6.75 tem 571 cavalos, indo de 0 a 100 km/h em 5,3 segundos.

Ghost

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

 

Irmão menor do Phantom, o Rolls-Royce Ghost sedã de ultra luxo tem 5,54 m na versão padrão e 5,71 m na versão limusine, ostentando a mesma mecânica do Phantom.

Limitado a 250 km/h como o irmão, este alcança 100 km/h em 4,3 segundos.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Com faróis full LED e rodas aro 20 polegadas, o Ghost chega a ter estreladas cadentes de fibra ótica no interior, além de portas automáticas e poltronas com apoios de pernas.

O console traseiro com frigobar, taças e mesinhas de refeição são obrigatórios em muitos casos. Construído em alumínio, também tem suspensão a ar, mas sem eixo traseiro direcional.

Cullinan

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

O Rolls-Royce Cullinan é a vitória do modismo e a derrota da marca, que foi obrigada a fazer um SUV para disputar com o Bentley Bentayga.

Com 5,34 m, é feito sobre a base do Phantom e tem quatro ou cinco lugares.

Com suspensão a ar ajustável, tem modo off road e a obrigatória tração nas quatro rodas.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Nome do maior diamante do mundo, o Cullinan tem vidro do bagageiro elétrico, prancha traseira automática e mesas retráteis para o banco de trás.

No entanto, é alvo de muitas customizações como da Novitec e Mansory…

Usa o V12 6.75 com 571 cavalos e ostenta a suspensão com ajuste por GPS e câmera.

Wraith

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Mais potente da gama, o Rolls-Royce Wraith é em realidade o esportivo da marca, com suas portas automáticas invertidas e silhueta sinuosa.

Sendo um 2+2, tem motor V12 6.6 com 632 cavalos e vai de 0 a 100 km/h em 4,4 segundos.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Feito em alumínio, ainda é preso à primeira geração do Ghost, compartilhando a base com o Dawn. Tem suspensão que pode ficar bem firme, assim como direção mais direta.

Incorpora os msmos luxos dos demais, como céu noturno, suspensão por GPS e faróis de laser. Mede 5,28 m e pesa 2,4 toneladas. Será substituído pelo Spectre.

Dawn

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Conversível da gama, o Rolls-Royce Dawn tem portas invertidas automáticas e uma capota de tecido de altíssima qualidade, além de acionamento elétrica feito em poucos segundos.

Apesar de não parecer, 80% dos painéis e guarnições são próprias em relação ao Wraith.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Usando o mesmo V12 6.6 desde seu lançamento em 2015, tem 601 cavalos e vai de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos.

Um sistema de ar quente recirculado no habitáculo garante o conforto no inverno, com a capota abaixada. Emprega as mesmas tecnologias e luxos dos demais.

Rolls-Royce – motores

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Ao longo da história, a Rolls-Royce produziu inúmeros motores e até projetou um V12 diesel, contudo, nunca o usou. O propulsor mais famoso e de mais longa produção foi o Série L.

O V12 da marca inglesa surgiu em 1959, após a marca usar o V12 da Série B dos anos 30 por muitos anos. Assim, o primeiro L foi o 380 com 5.2 litros, mas foi o L410 com 6.25 litros que foi eternizado.

Feito em Crewe, esse V12 dominou a produção, ainda que o L380 tenha sido mantido até os anos 70.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

O L410 usava comandos no bloco (OHV), por engrenagem e tinha concepção de cabeçotes inspirada no famoso Merlin da Segunda Guerra.

Em 1970, o L410 subiu para 6.75 litros e até ganhou uma versão turbinada, mas manteve-se como um aspirado por décadas.

Em 1998, quando houve a separação de marcas, a BMW assumiu o fornecimento de motores com seu V12 5.4 para a Rolls-Royce.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

O L410 foi mantido pela VW, que não tinha um V12 na época, até 2020, mesmo quando já existia há anos o W12, por exemplo.

Na Rolls-Royce, após iniciar com motores BMW, a marca inglesa recebeu os N73 e N74.

Estes V12 de 6.6 e 6.75 litros, respectivamente, foram modificados para atender a Rolls-Royce, mas também usados no BMW Série 7.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Atualmente a potência padrão é o N74 6.75 de 571 cavalos com torque de 91,4 kgfm. Há o N74 6.6 – que também tem dois turbos – com 632 cavalos e 88,3 kgfm no Wraith.

No Dawn, o 6.6 tem 601 cavalos. Nos carros antigos da Rolls-Royce, o câmbio era GM de 3 ou 4 marchas, hoje é ZF com 8 marchas.

Rolls-Royce – curiosidades

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Um carro da Rolls-Royce é, entre outros coisas, um automóvel ultrassilencioso. Cada exemplar da marca precisa deslizar sobre o asfalto e em total silêncio a bordo.

A ênfase na acústica se dá até em Goodwood, onde a fábrica precisa ser como no lado de fora, bem silenciosa.

Cada carro da Rolls-Royce leva uma camada generosa de material específico para filtrar de ruído de vento ao rodar dos pneus no pavimento.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

O habitáculo precisa ser quase hermeticamente fechado, com sistema de circulação de ar ausente de ruído.

Além dos materiais nobres, um Rolls-Royce precisa ostentar o logotipo em sua posição quando a roda gira, sendo feito por contrapeso.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Na seção Coach Builder, um pintor (artista) personaliza cada carro à mão e leva três horas por exemplar.

Outro item que demanda muita de obra e tempo é a reprodução do céu noturno no teto. São 1.500 LEDs colocados a mão.

Na área de pintura da Rolls-Royce tem uma paleta com 44 mil cores disponíveis no Black Badge. Tudo é feito à mão, desde a costura do couro até o corte da madeira.

Spirit of Ecstasy

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Símbolo máximo da Rolls-Royce, a “deusa” voadora que reina sobre o capô de qualquer carro da marca é chamada na fábrica de “Emily” e tem sua própria história.

Originalmente, os sócios da empresa não previram um ornamento sobre o radiador.

Contudo, o Barão de Montagu, pediu ao escultor Charles Robinson Sykes, que fizesse um mascote pessoal para seu Silver Ghost em 1909.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Sykes usou a artista inglesa Eleanor Velasco Thornton, amante do barão.

Quando a Rolls-Royce percebeu que os clientes estavam enfeitando seus carros com ornamentos inadequados, pediu à Sykes que fizesse a reprodução da deusa grega da vitória Nike.

Contudo, o escultor escolheu Eleanor novamente, mas ao contrário da anterior, com os braços esticados e um vestido esvoaçante.

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

Após várias mudanças, o Spirit of Ecstasy passou a fazer parte de todo Rolls-Royce, mas somente a partir de 1948.

Chegou a ter uma versão ajoelhada e a atual tem mecanismo de mola para retrair-se em caso de colisão em qualquer direção.

Os ornamentos podem ser feitos de ouro 24 quilates ou cristal fosco iluminado, e também pode ser feito de outros materiais a pedido do cliente. Normalmente é feita de aço inox polido.

Rolls-Royce – Galeria de fotos

Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história
Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história

© Noticias Automotivas. A notícia Rolls-Royce: os modelos de luxo e sua história é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.

Notícias Automotivas
Read More

COMPARTILHE!
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE