Atuação do Fluminense evidencia fragilidade defensiva após saída de Nino

André atuou como zagueiro no segundo tempo do jogo contra o Alianza Lima – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Na busca pelo bi, o Fluminense arrancou um empate do Alianza Lima, no Peru, por 1 a 1 na estreia na Libertadores. Com oito desfalques, o Tricolor não teve uma boa atuação, entretanto conseguiu voltar para o Rio de Janeiro com um ponto, após gol de Marquinhos. Por outro lado, não é apenas com o sistema ofensivo que Diniz tem que se preocupar, mas sim com o equilíbrio, algo que tem faltado ao time na temporada.

Isso acontece, visto que a equipe sofreu, em média, quase um gol por jogo (0,9) nas dezesseis partidas disputadas até aqui. Quando o recorte é apenas o Estadual, a média é maior, já que entrou em campo treze vezes pela competição e sofreu treze tentos. Bem diferente do início de 2023, quando figurou como a melhor defesa do Brasil no primeiro trimestre.

Um dos fatores para a mudança significativa nos números é a saída de uma de suas principais peças. Nino, que era capitão do time campeão da Libertadores, assinou com o Zenit, da Rússia. O jogador dava qualidade na saída de bola e fez uma temporada consistente, caindo nas graças da torcida. Sua ausência ainda pesa, visto que a reposição não foi no mesmo nível.

Sem o capitão da Libertadores

O Tricolor apostou na chegada de Antônio Carlos, que estava no Orlando City, mas que ainda não conseguiu se firmar, Manoel, por sua vez, retornou recentemente depois de oito meses de punição por causa do doping e David Braz está fora dos planos. O elenco também ainda conta com o jovem Felipe Andrade e Marlon, porém Diniz prefere improvisar.

Desde a estreia do elenco principal, que iniciou a temporada mais tarde por causa do Mundial de Clubes de 2023, o técnico tem utilizado o volante Thiago Santos como zagueiro. A ideia, aliás, é dar qualidade à saída de bola ao lado de Felipe Melo, que também iniciou a carreira no meio de campo, mas se firmou como defensor nos últimos anos.

No entanto, o jogador tem apresentado atuações irregulares. No jogo de ida da semifinal do Estadual, o defensor até fez um bom primeiro tempo, mas demonstrou fragilidades na etapa final. Além de errar um passes bobos, deu uma entrada em Cebolinha e foi expulso. Diante do Alianza Lima, errou muito e concedeu espaços ao ataque adversário.

Busca por velho conhecido

Outra opção que tem sido recorrente nos momentos de aperto é a entrada de André e, às vezes, Martinelli no sistema defensivo, porém ainda é longe do ideal. Diante disso, recentemente, o diretor de planejamento Fred revelou que o presidente Mário Bittencourt conversa com Thiago Silva, um dos sonhos do Fluminense. O mandatário também reafirmou que almeja repatriar o defensor em breve.

O zagueiro tem contrato com o Chelsea até o meio de 2024, quando termina a temporada 2023/24 europeia. No entanto, a tendência é que os Blues não renovem o contrato, visto que não tem feito uma boa temporada e pretende fazer uma grande reformulação. Diante disso, o Tricolor tem esperanças de repatriar o jogador para o segundo semestre, para ser a reposição de Nino.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

Fonte: www.canalrural.com.br
O conteúdo acima foi originalmente publicado no CanalRural e indexado ao Alta Notícias

COMPARTILHE!